SEJA BEM VINDO

H1



H2



H3



H4



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


25/01 - A arte de Adão Francisco: pintor recria universos e desperta diferentes sensações com obras irreverentes
Cores vivas e marcantes são as principais ferramentas do artista, de 89 anos, que mora em Martinópolis e que tem a natureza como maior inspiração. São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 As cores vivas e marcantes são as principais ferramentas do pintor Adão Francisco dos Santos, de 89 anos, de Martinópolis (SP), que recria universos e desperta diferentes sensações com suas pinturas únicas e irreverentes. A casa do artista é digna de admiração. Nas paredes, os quadros são os responsáveis pela energia positiva que o lugar transmite. Tudo cercado de simplicidade e amor. Amor que foi e é a base das produções de Francisco, nome que assina nas obras. Amor também de sua esposa, Antônia Peixoto dos Santos, de 74 anos, mais conhecida como Dona Toninha, como é carinhosamente chamada. Casados há quase 50 anos, o trato humano entre eles é evidente. O carinho chama a atenção e o cuidado que Dona Toninha transmite por seu parceiro de vida é fruto de muito respeito. Entre uma conversa e outra, Adão relembrou sua infância. Seu pai, José Francisco dos Santos, e sua mãe, Ana Gonçalves Pereira, da qual falou com muita saudade. Nascido em São Francisco, em Minas Gerais, Adão chegou ao Oeste Paulista há muitos anos. Passou por Indiana (SP) e Regente Feijó (SP), até aportar em Martinópolis, cidade em que reside há mais de 50 anos. Nela, o artista formou sua família. Do amor com Toninha nasceram Flávio Francisco dos Santos, de 47 anos, e Cláudio Francisco dos Santos, de 43 anos. A arte está presente na vida de Adão desde 1965, quando iniciou cursos por correspondência para aperfeiçoar seu talento. O primeiro desenho mostrou a atriz Brigitte Bardot, ícone sexual naquela década. O desenho foi confeccionado na capa do caderno onde anotava nomes dos clientes de uma tinturaria onde trabalhou, mas, depois, o retrato foi para a tela, iniciando assim sua grande jornada no mundo artístico. Embora o quadro ainda esteja pendurado na parede de sua casa, para que seu início esteja sempre presente em seu dia a dia, pintar retratos não é mais algo que acontece com frequência. A pintura começou com os traços primitivos e, hoje, ele confecciona quadros com características mais modernas. Sua maior inspiração é a natureza, com as árvores, em especial. A produção de uma obra dura em torno de uma semana. E o artista não para de produzir. Aposentado desde 1995, não aguenta ficar parado e sua paixão pela pintura é também sua maior distração diária. Em um espaço da casa, reservado especialmente para isso, ele passa a maior parte do dia, transformando suas grandes ideias em arte. Os desenhos abstratos despertam em cada pessoa uma sensação diferente, o que torna o trabalho do artista ainda mais especial. “É isso que gosto de causar. Essas visões diferentes. Nada me deixa mais feliz do que mostrar meus quadros e ouvir as pessoas dizendo que gostaram e que de alguma forma se identificaram com a pintura”, contou o pintor ao G1. A Sarará, título de uma de suas obras, a qual resultou-lhe menção honrosa em Portugal, é um de seus maiores orgulho. O quadro é visivelmente exposto na parede da sala junto a outras obras não menos importantes. Além disso, a obra Duas Irmãs também foi digna de premiação em Presidente Prudente (SP). São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 Os quadros produzidos pelo artista plástico não estão somente nas paredes de sua casa. “Tenho quadros por todo o país, até na Bahia. Vendi alguns e outras vezes presenteei amigos. Toninha nunca gostou que eu desse, ficava com medo de que as pessoas não valorizassem meu trabalho e se desfizessem das obras, mas eu só entregava pra quem eu sentia que cuidaria com carinho”, relembrou ao G1. Curioso e pró-ativo, Adão contou que, quando jovem, aprendeu de tudo. Desde a produção de móveis, até a confecção de roupas. O paletó que usou em seu casamento com Dona Toninha foi feito por ele, quando trabalhava como alfaiate. Ao lembrar-se disso, também contou histórias engraçadas que viveu neste período, momento em que as risadas tomaram conta de todos. Emocionado, também relembrou quando viu sua esposa pela primeira vez, dizendo que ela parecia ser meio “doidinha”, mas que soube, no momento em que a viu, de que um dia se casaria com ela. Não deu outra. O cuidado entre eles é o que mais chama a atenção. Dona Toninha cuida de tudo. As mais de 350 obras estão catalogadas em um caderno, feito por ela e no qual somente ela mexe. “Só eu me encontro nessa lista, ninguém mais mexe. Catalogado assim, fica mais fácil na hora de ele encontrar o que precisa”, explicou a esposa ao G1. E não para por aí. A esposa sempre o acompanha em suas pinturas e também nas exposições das obras, que já foram mais de 20. Uma das mais especiais ocorreu em 2015, no Centro Cultural Matarazzo, em Presidente Prudente. Ela também é responsável por organizar os recortes de jornais que falam de seu artista preferido e das cartas que ele recebe de críticos brasileiros que o parabenizam pelo trabalho. Tudo guardado com muito zelo. A simplicidade estampada nos traços de suas obras e na maneira de ver as coisas, o amor pela arte, pela família e, principalmente, pela vida, são características que o transformam em um artista completo. Não somente com pincéis e tintas, mas também com sorrisos que consegue provocar naqueles que o cercam, com a maneira bonita de encarar os dias difíceis que enfrenta. São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 Escola de samba Por sua arte, o pintor foi homenageado pela escola de samba Unidos da Vila Alegrete, de Martinópolis, no Carnaval de 2017, que colocou em evidência o dom de Adão e a magia de suas obras. Com o enredo "Um Paraíso Feito à Mão. A Arte de Adão Francisco", a Unidos da Vila Alegrete não homenageou apenas um pintor, mas, sim, um artista da vida, que não quer que as pessoas vejam o singelo ato como exibicionismo e agradece com todo o coração pelo reconhecimento. Paris Em setembro de 2019, o pintor foi homenageado e nomeado “Embaixador das Artes” pela Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture, de Paris, na França. A nomeação deu-se pelo talento único e marcante do pintor, que o colocou em evidência diante da academia de artes. A homenagem foi recebida pelo artista com muita emoção. Houve ainda, o convite para que Adão fosse até Paris receber em mãos o certificado, no entanto, devido a problemas de saúde, não pôde estar presente e uma cópia foi enviada e impressa para o pintor. O certificado original será enviado posteriormente. “Meu sonho sempre foi expor minhas obras em uma grande cidade. Mas a gente nunca imagina que pode ser possível. Esse título é uma conquista e nada é mais gratificante que o reconhecimento pelo nosso trabalho”, expõe. Dona Toninha demonstrou muito orgulho pela conquista do parceiro de vida, que sempre recebeu dela todo o apoio e amor na produção das artes. São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 Artista foi certificado por um escola de artes de Paris Aline Costa/G1 Adão Francisco tem a natureza como maior inspiração para suas obras Aline Costa/G1 Adão Francisco e a esposa Toninha Aline Costa/G1 Primeira obra produzida pelo artista Aline Costa/G1 São mais de 350 telas confeccionadas por Adão Francisco Aline Costa/G1 Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.
Veja Mais

25/01 - Criador de luva que fez João Carlos Martins voltar ao piano conta que invenção era para 'brincadeira em casa' e cita teimosia por perfeição
Designer de Sumaré (SP) desenvolveu acessório que permitiu ao maestro retomar prática com outros dedos, além dos polegares. Artista havia anunciado despedida do instrumento em 2019. Bira com luvas criadas para João Carlos Martins Fernando Pacífico / G1 Campinas "Não imaginava jamais essa doideira". É com jeito descolado que o designer industrial Ubiratã Bizarro Costa, 55 anos, contrapõe os cabelos grisalhos ao entusiasmo de quem ainda parece um garoto quando fala da paixão em criar, sobretudo para melhorar as vidas das pessoas. Em meio aos desenhos artísticos e técnicos expostos por alunos na escola dele em Sumaré (SP), o inventor da luva que fez João Carlos Martins voltar ao piano conta que esperava ver o maestro apenas brincando com ela em casa. Além disso, mostra surpresa com a repercussão até internacional do "prefácio" de uma obra já na sexta versão. "Juntou dois teimosos", se diverte Bira, como costuma ser chamado pelos mais próximos, ao contar sobre a relação com quem ele chama de "Da Vinci do piano" na busca por ajustes na luva para garantir perfeccionismo no contato com as teclas do instrumento musical. O maestro de 79 anos participa de duas apresentações neste sábado (25), durante celebrações do aniversário de 466 anos de São Paulo. Initial plugin text O projeto, criado inicialmente em desenho a mão, começou a ganhar forma depois que o designer assistiu a apresentação de despedida de João Carlos do piano realizada no programa Fantástico, da TV Globo, em fevereiro do ano passado. A partir de então, viu uma série de vídeos para tentar compreender as limitações nos movimentos das mãos do artista e de que maneira ele poderia contribuir. Além de analisar imagens gravadas em concertos, o designer explica que se sentiu motivado por ter desenvolvido em anos anteriores protótipos de exoesqueletos que poderiam beneficiar cadeirantes. Um dos elos, avalia, está a busca por um design minimalista, marcado pelas ideias de simples e objetivo. "Eu pensei, não deve ser tão difícil fazer alguma coisa. Me impactou. Eu fiz um exoesqueleto, um cara levantar e andar, quase me matei para aquilo, deu certo, talvez só para os dedos deve ser mais fácil. Aí comecei a maquinar, fazer desenhos, pegava vídeos na internet, focava nas mãos e congelava as imagens. Tirava medidas, via movimentos, aí eu desenvolvi um protótipo", explica o designer. Bira já criou seis versões de luva Fernando Pacífico / G1 Quem imagina uma luva tecnológica como a do personagem Tony Stark se engana, embora ela de alguma forma permita ao maestro retomar os "superpoderes" para interpretar as melodias de Chopin e Mozart no apartamento onde mora. Se antes conseguia usar apenas os dois polegares, agora João Carlos diz que "começou a estudar outra vez do zero, como criança", ao movimentar outros dedos. As mãos que antes fechavam após movimentos, voltaram a ficar estendidas com uso do invento apelidado pelo maestro de "luvas biônicas", mas que funcionam como molas para gerar o efeito esperado. Initial plugin text A primeira versão, feita com hastes impressas em ABS, uma placa de fibra de carbono e revestimento de neoprene foi entregue por Bira ao maestro durante um concerto no aniversário da cidade, em julho de 2019, após ajuda de um colega integrante da orquestra para chegar ao camarim. Os dois primeiros modelos não funcionaram como esperado, admite Bira, mas o maestro acreditou na ideia e os contatos entre eles ficaram mais frequentes desde outubro, quando o designer decidiu mudar as hastes. A partir de então, foram quatro encontros presenciais que definiram troca definitiva do plástico para aço - após a luva quebrar no uso - para aumentar a resistência, mas sem perda da flexibilidade. "Em dezembro, quando ele anunciou [veja vídeo abaixo], era terceira versão, que ele realmente tinha certeza que funcionaria e estava confortável para mostrar. Ele fez uma surpresa de Natal", conta Bira ao lembrar que o último pedido do maestro foi para padronizar a luva na cor preta. Ele espera outros. Initial plugin text "Fiquei muito feliz ao ver que funcionou, mas ele é perfeccionista e não vai sossegar", brinca Bira. O designer se diz fã de música clássica, principalmente pela "meticulosidade dos artistas" e porque a mãe é professora de piano. Cada par de luvas tem custo estimado de R$ 1,5 mil e, por enquanto, Bira leva uma semana para fazer artesanalmente. O desenho a mão é elaborado em 3D, passa por um software onde há análise minuciosa de "camadas" e cada luva requer pelo menos três horas de impressão. Ele passou a dormir com as luvas porque diz que está moldando a mão, são extensoras", conta ao admitir que inicialmente não conhecia a história do maestro de forma profunda, mas ficou assustado ao reconhecer a dimensão da carreira pelo filme "João, o Maestro". "Aí eu percebi. Meu Deus, é um gênio." Martins é considerado um dos maiores intérpretes do compositor Johann Sebastian Bach no século 20 e registrou a obra completa do compositor para teclado. Ao longo da carreira, passou por 24 cirurgias. Bira é categórico ao falar que não espera nenhum centavo em troca pelo "presente" dado ao maestro, mas sinaliza euforia com a hipótese de seguir no caminho da inovação e, com o modelo criado, poder atender demandas parecidas com a do maestro caso tenha sucesso em fazer parcerias com indústrias. Ele já fez o registro da propriedade intelectual e trabalha no processo para registro de patente. "Ganhei um amigo", conta orgulhoso sobre a relação com o pianista que ajudou a reviver um sonho. Caixa de luvas criadas por designer para João Carlos Martins Fernando Pacífico / G1 Designer que criou luva para João Carlos Martins trabalha em escola de Sumaré Fernando Pacífico / G1 Veja mais notícias da região no G1 Campinas.
Veja Mais

25/01 - 'Big Brother': as participações mais marcantes das edições com famosos
Celebridades são novidade no 'BBB', mas 22 países já produziram 85 edições só com famosos. Veja histórias inusitadas dos participantes, com dois brasileiros em destaque. Semana Pop: as participações mais marcantes de famosos nos Big Brothers de celebridades O "Big Brother Brasil" estreou em 2020 sua primeira edição com famosos confinados. Em ouros países, os formatos exclusivos com celebridades existem desde 2000 e, em alguns lugares, foram mais longevos que o programa original. Veja todas as edições Ouça em podcast O Semana Pop deste sábado (25) conta as histórias de cinco participações inusitadas e divertidas dos "BBs" celebridades: Angie Bowie e a confusão da morte Ken Humano expulso Família Jackson e pedido curioso Recorde de reclamações da TV britânica Brasileira vice-campeã na Argentina O Semana Pop vai ao ar toda semana, com o resumo do tema está bombando no mundo do entretenimento. Pode ser sobre música, cinema, games, internet ou só a treta da semana mesmo. Está disponível em vídeo e podcast.
Veja Mais

25/01 - Brasil e Índia assinam acordos nas áreas de segurança cibernética, biocombustíveis e ciência
Presidente Jair Bolsonaro e o premiê indiano Narendra Modi formalizaram parcerias em Nova Déli, neste sábado (25). Visita oficial à Índia continua até segunda-feira (27). O presidente brasileiro Jair Bolsonaro e o premiê Narendra Modi em Nova Déli, neste sábado (25) REUTERS/Altaf Hussain O presidente brasileiro Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, assinaram acordos de parcerias entre os dois países nas áreas de segurança cibernética, biocombustíveis e ciência. Os atos foram formalizados em cerimônia na manhã deste sábado (25), em Nova Déli. Os governos assinaram 15 acordos de cooperação. Entre eles, parcerias para ampliar investimentos e intensificar o uso e a produção de bioenergia e combustíveis como etanol, biodiesel, bioquerosene e biogás. Um outro ato também incentiva a exploração de petróleo e gás entre os dois países. Antes da viagem à Índia, onde fica até segunda-feira (26), Bolsonaro falou sobre o interesse em ver a Índia utilizar mais etanol em seus combustíveis. Na área de cibersegurança, Índia e Brasil se comprometeram a estreitar a troca de informações sobre o tema, respeitando as leis de cada país. Os dois países também aceitaram aprofundar o acordo assinado em 2006 para cooperação tecnológica entre cientistas, instituições de pesquisa e de financiamento. Um acordo também fortalece parceria no processamento de alimentos e na área agropecuária, e fortalece colaboração de produção leiteira. Mais investimentos na área de pecuária era um dos principais interesses defendidos pelo premiê indiano Narendra Modi, em visita ao Brasil, em novembro do ano passado. Na ocasião, Bolsonaro apontou o desejo de ampliar a parceria nas áreas de biocombustíveis e ciência e tecnologia. Visita à Índia Bolsonaro é convidado de honra de Modi para os festejos da República no domingo (26), em Nova Déli. Bolsonaro também deverá ir a Agra para conhecer o Taj Mahal, um dos principais pontos turísticos do país. Ainda neste sábado, Bolsonaro deve se reunir com o presidente indiano Ram Nath Kovind, que deve ser acompanhado pelo vice Venkaiah Naidu. Na segunda-feira (27), antes da visita ao Taj Mahal, Bolsonaro terá um café com empresários indianos, no qual serão apresentadas oportunidades de investimentos em infraestrutura. Ele também participará de um seminário empresarial Brasil-Índia. Segundo o Itamaraty, o Brasil deseja ampliar a venda de diferentes produtos para a Índia, um dos países mais populosos do mundo com mais de 1 bilhão de habitantes. De acordo com dados do Itamaraty, o intercâmbio comercial entre o Brasil e a Índia totalizou US$ 7,02 bilhões em 2019. As exportações brasileiras ficaram em US$ 2,76 bilhões, enquanto as importações somaram US$ 4,26 bilhões. A Índia investe no Brasil nos setores de transmissão de energia, defensivos agrícolas e fabricação de veículos pesados. Já o Brasil investe em setores como motores elétricos, terminais bancários e componentes de veículos pesados.
Veja Mais

25/01 - Veja a agenda cultural de João Pessoa para este fim de semana, 25 e 26 de janeiro
Dicas do 'Qual é a Boa?' têm atrações variadas na capital paraibana. A agenda cultural do “Qual é a Boa?” tem shows, festas e eventos variados neste sábado (25) e domingo (26), em João Pessoa. Confira. Bateria da Escola de Samba Unidos do Roger Local: Praça Rio Branco Horário: 12h30 (sábado) Entradas: gratuitas Festa "Axé Retrô" Local: Chopp Time Horário: 15h (sábado) Entradas: não informadas DJ Bryza Local: Centro Cultural Espaço Mundo Horário: 19h (sábado) Entradas: gratuitas Val Donato Divulgação Val Donato Local: Usina Cultural Energisa Horário: 21 (sábado) Entradas: R$ 20 Pedro Faissal e Meiofree Local: Salão de Artesanato Paraibano Horário: 19h30 (sábado) Entradas: gratuitas Festival Gastronômico Terroá acontece em Cabedelo Divulgação Festival Gastronômico Terroá Local: Angelim Gardem, em Cabedelo Horário: 12h (sábado) Entradas: a partir de R$ 20 DJ Rodolfo Local: IT Club Horário: 22h (sábado) Entradas: não informadas Luana Flores Ana Moraes/Divulgação DJ Luana Flores e Axé do Yuri Local: Cherimbom Comidas Regionais Horário: 16h (sábado) Entradas: R$ 15 Espetáculo "Toda Coisa tem Três Lados" Local: Teatro Ednaldo do Egypto Horário: 17h (sábado e domingo) Entradas: não informadas Espetáculo "No Butecu do Dengoso" Local: Espaço Cultural Horário: 20h (sábado e domingo) Entradas: a partir de R$ 20 Espetáculo "Vida Severina" Local: Theatro Santa Roza Horário: 19h (sábado e domingo) Entradas: a partir de R$ 5 DJ Rodz Local: Centro Cultural Espaço Mundo Horário: 19h (domingo) Entradas: gratuitas Nathalia Bellar Fabi Velôso/Divulgação Nathalia Bellar Local: Casa da Pólvora Horário: 16h30 (domingo) Entradas: gratuitas 2 em Dois e Odile Local: Vila Jardim JP Horário: 17h30 (domingo) Entradas: gratuitas
Veja Mais

25/01 - Litoral da Paraíba tem três praias impróprias para banho; maré chega a 0,4 m
Banhistas devem evitar trechos situados em João Pessoa. Litoral da Paraíba tem três praias impróprias para banho; maré chega a 0,4 m Krys Carneiro/G1 O Litoral da Paraíba tem três praias impróprias para banho - com trechos distribuídos em João Pessoa - de acordo com o relatório divulgado pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), nesta sexta-feira (24). Os outros pontos monitorados, situados em Mataraca, Baía da Traição, Rio Tinto, Lucena, Cabedelo, Pitimbu e Conde, tiveram a qualidade das águas classificada como própria. Veja previsão do tempo e clima na PB para o fim de semana Neste fim de semana, a maré chega a 0,4 m às 10h43 do sábado (25) e às 11h13 do domingo (26), e atinge ainda 0,3 m às 22h30 do sábado (25) e às 23h38 do domingo (26). A maré alcança os pontos mais altos às 16h21 do sábado (25) e às 12h26 do domingo (26), com 2,4 m. Praias impróprias para banho na Paraíba Praia de Manaíra, em frente à quadra de Manaíra; Praia de Manaíra, em frente ao N° 315 da Avenida João Maurício; Farol de Cabo Branco, em frente à galeria de águas pluviais; Praia do Arraial, em frente à desembocadura do Rio Cuiá.
Veja Mais

25/01 - O Assunto #104 a #108: Roberto Alvim, fuga no Paraguai, Brumadinho, coronavírus e Bezos hackeado
O Assunto é o podcast diário com Renata Lo Prete. Perdeu algum nesta semana? Aproveite o fim de semana para maratonar todos os episódios. Você pode ouvir O Assunto no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar. O Assunto é publicado de segunda a sexta-feira, mas você pode aproveitar o fim de semana para ouvir todos os episódios: #104 - Roberto Alvim A queda de Roberto Alvim e o que ela revela sobre a essência e o modo de operação do governo Bolsonaro #105 - Fuga no Paraguai A fuga de presos brasileiros no Paraguai e como atua o crime organizado na fronteira #106 - Brumadinho Brumadinho, 1 ano - a maior operações de buscas do Brasil e como está a cidade varrida pela lama #107 - Coronavírus Coronavírus, o novo vírus que colocou o mundo em alerta #108 - Jeff Bezos hackeado Como o celular de Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, teria sido hackeado - e a suspeita de participação de um príncipe O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Luiz Felipe Silva, Isabel Seta, Gessyca Rocha, Sérgio Fernandes e Giovanni Reginato. Apresentação: Renata Lo Prete. O Assunto Comunicação/Globo O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça – e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.
Veja Mais

25/01 - Um ano após tragédia da Vale, dor e luta por justiça unem famílias de 259 mortos e 11 desaparecidos
‘Não é possível que esse tanto de morte vai ficar em vão, e a nossa luta justamente é para não ficar’, diz irmã de vítima que deixou filhos gêmeos e que ainda não foi localizada 12 meses após rompimento de barragem em Brumadinho. Letreiro na entrada de Brumadinho lembra as vítimas do rompimento da barragem da Vale Raquel Freitas/G1 Minas Às 12h28 do dia 25 de janeiro de 2019, o destino e a história das famílias de 270 pessoas se cruzaram em Brumadinho (MG). Há 365 dias, elas revivem diariamente essa data e se unem na dor pela perda inesperada e cruel de mães, pais, filhos, irmãos e companheiros. Ao longo de um ano, os parentes puderam se despedir de 259 vítimas da tragédia da Vale, que tiveram seus corpos – ou parte deles – localizados e identificados. Mas familiares de 11 desaparecidos ainda precisam lidar com uma espera sem prazo definido para ter fim. Há 12 meses, essas famílias também se unem na busca por justiça. Nesta semana, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou o ex-presidente da Vale Fabio Schvartsman e mais 15 pessoas pelo crime de homicídio doloso, aquele em que há a intenção de matar. Eles também vão responder por crime ambiental, assim como a mineradora e a Tüv Süd. Josiana Resende, perdeu a irmã Juliana Resende e o cunhado Dennis Silva no desastre Raquel Freitas/G1 “Não é possível que esse tanto de morte vai ficar em vão, e a nossa luta justamente é para não ficar”, diz Josiana Resende, que perdeu a irmã Juliana Resende e o cunhado Dennis Silva no desastre. O casal deixou dois filhos gêmeos, na época, com dez meses. Passado um ano, Josiana e sua família ainda aguardam a localização e identificação do corpo da analista administrativo, que trabalhou por cerca de dez anos na Vale. Em 12 meses, ninguém foi responsabilizado pela morte precoce de Juliana, do marido dela e das outras vítimas do desastre. Também não há ninguém preso. “Um ano e não tem ninguém na cadeia, isso dói também na gente”, desabafa Natália de Oliveira, irmã de Lecilda de Oliveira. Na lista dos 11 desaparecidos, o nome dela aparece logo abaixo do de Juliana. Se, por um lado, não há detidos entre eventuais responsáveis pela tragédia, por outro, parentes das 270 vítimas se sentem até hoje encarcerados no dia do desastre. “A gente está preso no dia 25, não tem como sair”, diz Alexandra Andrade, que perdeu o irmão Sandro Andrade. Aos 42 anos, o operador de equipamento deixou três filhos. Ele foi identificado na primeira semana após a tragédia, quando também foi feito o reconhecimento primo dele, Marlon Rodrigues Gonçalves. Alexandra Andrade perdeu o irmão Sandro Andrade e o primo Marlon Gonçalves Raquel Freitas/G1 Para Alexandra, a espera pela localização dos corpos foi o pior momento deste último ano. “A pior dor é essa. Porque a gente não sabe se está vivo, como que está, se está sofrendo ou não. Depois começa a pensar que está morto. Então, a esperança vai diminuindo. Aí, com o passar dos dias, começa a pensar que não vai encontrar, o medo de não encontrar. Isso é uma semana, imagina quem já está há um ano”, diz. Para ter forças superar essa espera pela localização de Lecilda, Natália começa os dias ouvindo áudios gravados pela irmã. Em um deles, registrado um mês antes de a barragem da mina do Córrego do Feijão vir abaixo, a funcionária da Vale consolava uma amiga pela perda da mãe. “Saudade é uma coisa que dói, mas eu espero que você esteja bem”, dizia na mensagem de voz. Hoje, essas palavras consolam sua própria família. Natália de Oliveira é irmã de Lecilda de Oliveira, uma das 11 desaparecidas na tragédia da Vale Raquel Freitas/G1 Os 11 desaparecidos são chamados de joias pelos parentes e pelos bombeiros que seguem as buscas há um ano ininterruptamente. E Natália eternizou Lecilda justamente desta forma. No pescoço, carrega um colar com pingente de coração onde está gravada a foto da irmã. Ela conta que, desde o rompimento da barragem, foi a mais de 40 velórios. Nenhum deles de Lecilda. “Esperar, esse verbo que nós estamos vivendo, é muito dolorido. (...) Então a gente está vivendo como se a gente tivesse doente. Doente de uma coisa que a gente está esperando uma cura que você não sabe se vai vir”, desabafa. Unidas na busca por justiça, Natália, Alexandra e Josiana fazem parte da Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos do Rompimento da Barragem Córrego do Feijão (Avabrum). “Eu falo que Deus está carregando a gente no colo porque senão a gente não estava em pé há um ano fazendo esse trabalho, porque eu chamo de trabalho mesmo, porque é muito pesado”, afirma Josiana. Reuniões, mobilizações e acompanhamento dos trabalhos do Corpo dos Bombeiros e da Polícia Civil se tornaram rotina na vida da irmã de Juliana. “Viver o dia 25 todo dia. (...) Aí você respira fundo, e vai. E cria força para poder fazer as lutas que a gente precisa. E, às vezes, eu sinto, que eu preciso fazer essas lutas (...) Eu foco mais na questão de trazer um alento para os meus pais. Para mim, também. Mas ver eles sofrendo, corta o coração, dói na alma mesmo”, conta. Vítimas que perderam a vida na tragédia da Vale são chamadas de joias pelas famílias RaquelFreitas/G1 Natália afirma que, independentemente da localização do corpo da irmã, quer ter a sensação de ter feito tudo que poderia quando as buscas forem encerradas. “Às vezes, as pessoas falam: ‘a luta é até quando? É até sempre’. Essa frase me apavora. Eu não quero ficar até sempre nessa luta”, diz. Ela espera que haja punição, não só da mineradora. “Nós precisamos de moralizar o nosso país. A minha luta não é contra a Vale, a minha luta é contra o sistema”, diz. Já Alexandra clama por justiça como forma de amenizar a dor das famílias. “Para que não seja impune e para que não aconteça mais. Porque [a tragédia de] Mariana, três anos antes, aconteceu. Dezenove mortos. Nenhum preso. E agora Brumadinho. Já tem um ano e, ainda, a gente espera que a justiça seja feita”, desabafa. Vítimas de Brumadinho: reportagem mostra a angústia de parentes de vítimas Famílias de 11 vítimas mantêm esperança de encontrar corpos em Brumadinho
Veja Mais

25/01 - Haja coração: Como a emoção de torcer pode agravar problemas cardiovasculares
Estudos apontam aumento de procura à emergência de hospitais em dias de partidas importantes. Em dias de jogos importantes, aumentam as ocorrências em emergências hospitalares Shutterstock Os olhos não tiram o olho da bola que viaja pelo campo. A cada lance, uma reação na forma de gritos, gestos exagerados, comentários sobre o que o jogador deveria ou não ter feito. Envolver-se assim com um jogo de futebol é rotina para muitos torcedores, mas pode ser um comportamento que aumenta as chances de um evento cardiovascular. Veja 6 dicas para ter um coração saudável Entenda como o estresse prejudica o coração Como a vida moderna aumentou o estresse – e como podemos evitá-lo Pesquisas científicas mostram que aumentam as ocorrências em que pacientes procuram emergências de hospitais por problemas cardíacos em dias de jogos importantes. Em 2006, por exemplo, um estudo alemão publicado na revista The New England Journal of Medicine apontou crescimento de 2,66 vezes nas internações em dias de partidas da seleção alemã na Copa do Mundo daquele ano. Em 2013, levantamento da Universidade de São Paulo apontou aumento de 4% a 8% nas ocorrências de infarto entre brasileiros em jogos de Copa do Mundo. Já em 2014, ano em que o Mundial foi realizado no Brasil, o cardiologista Nabil Ghorayeb, médico do esporte do Hospital do Coração (HCor), conduziu outra pesquisa. Em dias de jogos do Brasil e nas finais, alguns hospitais do país foram convidados a informar atendimentos na véspera da partida, no dia, no dia seguinte e dois dias depois. Quando procurava a emergência, o paciente preenchia uma ficha informando se havia relação do episódio com o jogo em questão. Os dados foram um tanto surpreendentes. “A final Argentina x Alemanha superou todos os outros dias em número de atendimentos. Talvez por aquele temor de que a Argentina fosse campeã”, analisa Ghorayeb. Rivalidade exacerbada à parte, o estudo foi na mesma direção de seus antecessores: apontou aumento de emergências cardíacas em dias de jogos importantes. Cardiologistas destacam que eventos de alto estresse costumam desencadear problemas cardiovasculares, especialmente em quem tem maior risco, como, por exemplo, quem é hipertenso ou tem histórico familiar de doenças cardíacas. Nesses casos, o nervosismo da torcida por um time de futebol pode servir de “gatilho” para desencadear episódios de angina ou até de infarto. “Vários mecanismos geram fatores para descompensar um indivíduo sob estresse. Se há um estresse abrupto, nosso organismo tem resposta cardiovascular para aquele estímulo. Então, se você leva um susto, naturalmente você sente o coração acelerar. É a resposta fisiológica. Se o estresse é muito intenso, a resposta também. No caso de você ter uma predisposição básica, ou seja, condições cardiovasculares que geram um fator de risco maior, essa descompensação pode ocorrer mais facilmente e você parar mesmo em um Pronto-Socorro”, explica Carlos Hossri, cardiologista e membro da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp). Hossri acredita que deveria haver orientações mais específicas sobre os perigos desse tipo de estresse, especialmente em cardiopatas. “Meu pai, por exemplo, é hipertenso e já sabe que vai passar mal. Como fica muito nervoso, nem fica perto da televisão. Sabe o resultado depois. Há um envolvimento emocional muito grande e não há orientação específica para esse público. Para quem tem doença prévia, é preciso evitar esse estresse crônico ou aprender a administrá-lo algo que é difícil porque esse engajamento é subjetivo, emocional e, por isso, nos foge à razão”, afirma. VÍDEO Estresse pode deixar os cabelos brancos, mostra estudo
Veja Mais

25/01 - Novo coronavírus matou 6 entre os primeiros 41 infectados; mais jovens escaparam da pneumonia, diz estudo
Levantamento aponta que esposa do primeiro homem a morrer também foi infectada e internada com pneumonia 5 dias após o marido. Ela não esteve no mercado de Wuhan. França é o primeiro país da Europa a registrar caso do novo coronavírus Enquanto um estudo publicado na quinta-feira (23) mostrou que mais de 52% das vítimas fatais de coronavírus eram idosos e com alguma doença crônica associada, uma novo artigo divulgado nesta sexta (24) na revista "The Lancet" mostra que a maioria dos sobreviventes tem até 49 anos e é saudável. A pesquisa desta sexta analisou os 41 primeiros pacientes do novo coronavírus confirmados entre 16 de dezembro e 2 de janeiro - seis deles morreram, e todos têm entre 49 e 66 anos. Nenhuma criança ou adolescente foi infectado e todos os sobreviventes tinham entre 25 e 53 anos. "O número de mortes está aumentando rapidamente", afirma o estudo, alertando que os números dos casos fatais estão crescendo dia a dia e que é urgente se descobrir "epidemiologia, duração da transmissão humana e espectro clínico da doença". Os cientistas também confirmam a relação entre a infeção e o mercado de frutos do mar de Wuhan: 66% estiveram no local antes de serem internados. A mulher do primeiro paciente a morrer por coronavírus – um homem de 61 anos que apresentou os sintomas depois de ter ido ao mercado de frutos do mar – também foi infectada e internada por pneumonia 5 dias após a internação do marido, segundo os pesquisadores. Ela, que tem 53 anos e não frequentou o mercado, está viva. Infectologista fala sobre aumento no número de países com casos de coronavírus O mercado tem sido apontado como o local de origem das infecções do novo coronavírus. Ele foi fechado em 1º de janeiro. Um estudo publicado na quarta (22) afirma que a infecção do vírus começou em serpentes que eram comercializadas no local. O que se sabe e o que ainda é dúvida sobre o coronavírus Entre os sobreviventes, a maioria, 27 deles, era saudável. Apenas 13 pessoas tinham doenças associadas: 8 com diabetes, 6 com hipertensão e 6 com doenças cardiovasculares. 'Todos tiveram pneumonia' O estudo concluiu que os sintomas mais comuns no início da doença foram febre (98%), tosse (76%) e mialgia ou fadiga (44%); os menos comuns foram produção de escarro (28%), dor de cabeça (8%) e diarreia (3%). Todos os infectados apresentaram pneumonia. Cerca de 32% dos casos foram encaminhados diretamente para unidade de tratamento intensivo (UTI) porque necessitavam de suporte de oxigênio para respirar. "O 2019-nCoV causou aglomerados de infecção pneumonia fatal, com apresentação clínica muito semelhante à SARS-CoV", relata o estudo. "Pacientes infectados com 2019-nCoV podem desenvolver síndrome do desconforto respiratório agudo, com alta probabilidade de internação em terapia intensiva (UTI) e podem morrer." Ciclo do novo coronavírus - transmissão e sintomas Aparecido Gonçalves/Arte G1 Grupo vulnerável Segundo informações do Comitê Nacional de Saúde da República Popular da China, homens com mais de 50 anos e com algum problema de saúde eram mais da metade das vítimas de coronavírus até a quarta, quando haviam 18 mortes. Para o infectologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Celso Granato, o fato de quase todas as vítimas fatais serem homens pode ser explicado por fator cultural. “Como o início da infecção está relacionado ao mercado de frutos do mar de Wuhan, pode ser que homens frequentem mais esses locais na China.” Quanto à idade avançada das vítimas, o infectologista afirma que tal condição já é esperada em quadros de infecções virais. “Se o mesmo vírus infectar um jovem saudável de 30 anos, provavelmente não resultará em morte. É parecido com o que ocorre com o vírus da gripe: pessoas idosas costumam ser as vítimas fatais.” Initial plugin text
Veja Mais

25/01 - Mulher é morta a tiros em Fortaleza
Corpo da vítima estava próximo a via férrea, no Conjunto Ceará. Testemunhas ouviram cerca de quatro disparos momentos antes da jovem ser encontrada morta. Rafaela Duarte/ SVM Uma mulher foi morta a tiros no Bairro Conjunto Ceará, em Fortaleza, na madrugada deste sábado (25). O local do crime é divisa com o município de Caucaia. De acordo com a Polícia Militar, o corpo da vítima estava próximo a via férrea. Testemunhas ouviram cerca de quatro disparos momentos antes da jovem ser encontrada. Agentes do 17º Batalhão, da região do Conjunto Ceará, e do 12º Batalhão, de Caucaia, estiveram no local e fizeram buscas para tentar identificar e capturar o suspeito do crime. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
Veja Mais

25/01 - Chuva em MG derruba casa em Betim e deixa soterrados
Imóvel desabou no fim da noite de sexta-feira (24) e prefeito confirmou 4 desaparecidos na madrugada deste sábado (25). Casa desaba e deixa 4 soterrados em Betim (MG), na noite de sexta-feira (24) Lucas Franco/TV Globo Uma casa inteira desabou no fim da noite de sexta-feira (24), em Betim (MG), por causa da chuva que atinge a Grande BH. O prefeito da cidade, Vittorio Medioli, afirmou na madrugada deste sábado (25) que quatro pessoas estão soterradas, e bombeiros fazem buscas pelos desaparecidos. Segundo moradores, um dos soterrados estava dentro da casa, e tomava banho no momento do deslizamento. As outras três pessoas desaparecidas estavam em uma casa ao lado. Um carro também foi arrastado. Também em Betim, um carro foi arrastado pela lama Lucas Franco/TV Globo Em Contagem, também na Região Metropolitana de Belo Horizonte, três bombeiros e um morador foram resgatados no fim da noite de sexta após serem soterrados por um muro que caiu no Jardim Industrial. De acordo com o Corpo de Bombeiros, todos estão conscientes. Mortes em Ibirité Volta a chover forte na noite de sexta (24) em Belo Horizonte Três pessoas morreram e uma está desaparecida em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, após um deslizamento provocado pela forte chuva de sexta-feira (24). De acordo com o Corpo de Bombeiros, os corpos identificados na Vila Ideal são de um bebê de seis meses de idade, de uma criança de seis anos e da mãe deles. Bombeiros trabalham em resgate em Ibirité, na Vila Ideal. Globocop "Eu estava na casa da minha avó, ia buscar eles e depois não consegui falar mais. Aí meu telefone tocou dizendo que tinha desabado", disse o pai das crianças, Samuel Ferreira. As buscas pela quarta vítima, uma mulher, continuavam no local. Todas as pessoas estavam na mesma casa. Elas foram suspensas às 21h e serão retomadas na manhã deste sábado. Deslizamento provocou mortes em Ibirité, na Grande BH Arte/G1 Ibirité foi um dos municípios mais castigados pela chuva que começou na quinta-feira (23). Já na capital mineira, os maiores transtornos foram provocados por alagamentos de vias e alguns deslizamentos. Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, 17 pessoas foram levadas para abrigos na capital. O município reservou 500 alojamentos caso haja necessidade de pessoas saírem de casas em áreas de risco. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) afirmou que Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da cidade, desde o início da medição climatológica há 110 anos. Em 24 horas, o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros em Belo Horizonte.
Veja Mais

25/01 - Chega em Confins avião fretado pelo governo americano com brasileiros deportados dos EUA
Este é o segundo voo de deportados autorizado pelo governo brasileiro; em outubro de 2019 chegou um primeiro, com cerca de 70 pessoas. Imagem da primeira aeronave que foi fretada pela agência federal norte-americana responsável por imigração e alfândega com destino ao Brasil, em outubro de 2019 Polícia Federal/Divulgação Na madrugada deste sábado (25), chegou em Belo Horizonte um avião fretado pelo governo dos Estados Unidos com algumas dezenas de brasileiros. O voo partiu de El Paso, no Texas, e aterrissou no Aeroporto de Confins por volta da meia-noite. O governo do presidente Jair Bolsonaro tem facilitado a deportação de cidadãos que vivem irregularmente nos Estados Unidos, o que representa uma mudança em relação à política de governos anteriores. Em resposta a um pedido da Reuters, o Ministério das Relações Exteriores confirmou que o Brasil foi notificado a respeito da repatriação de grupo de nacionais brasileiros inadmitidos nos EUA. Este é o segundo voo de deportados autorizado pelo governo brasileiro. Em outubro de 2019 chegou também a Belo Horizonte um primeiro voo, com cerca de 70 pessoas. Foi a retomada de uma medida que não era aceita pelo Brasil desde 2006, quando o último voo com deportados chegou também a Minas Gerais. Uma fonte que acompanha o assunto explicou que a decisão brasileira foi tomada também pela mudança da lei norte-americana, que passou a tratar os imigrantes ilegais pegos na fronteira como "inadmitidos" e a mantê-los presos nos campos de imigração até a deportação. A não aceitação dos voos faria com que ficassem presos. No entanto, pelas novas regras dos Estados Unidos, a chamada "deportação rápida" não inclui apenas os imigrantes ilegais pegos na fronteira, mas qualquer um preso que não consiga provar que morou nos Estados Unidos pelos dois anos anteriores, ininterruptamente. De acordo com outras duas fontes com conhecimento próximo do assunto, houve uma determinação superior aos diplomatas brasileiros para que não se criasse mais dificuldades para o envio de deportados por aviões fretados, em uma necessidade de aproximação com o governo de Donald Trump. Até 2018, o governo brasileiro se recusava a aceitar os fretamentos com deportações em massa. As únicas exceções, desde 2006, foram dois grupos, um de quatro pessoas e outro de três, no final de 2017. Segundo uma das fontes, em meio a negociações comerciais, o governo Trump aumentou a pressão pelas deportações e o Brasil autorizou a volta de cidadãos em casos específicos. Brasil não aceitava voos fretados com deportados desde 2006 A decisão de não aceitar mais o fretamento de aviões veio em 2006 quando, depois de uma CPI que investigou as deportações de brasileiros, o Itamaraty alterou a política de trato de brasileiros no exterior, incluindo aqueles acusados de imigração ilegal. Um diplomata ouvido pela Reuters explica que a decisão de não aceitar mais as deportações em massa veio da necessidade de analisar caso a caso e dar aos brasileiros que vivem nos Estados Unidos, mesmo ilegalmente, a possibilidade de reverter a decisão de deportação --o que muitas vezes acontece quando o cidadão tem filhos norte-americanos, uma estrutura familiar montada e às vezes até negócios. A fonte reconhece que, nos casos atuais, cerca de 95% dos casos são de brasileiros presos ao tentar cruzar a fronteira, e que estão em acampamentos do serviço de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA. Os demais, em sua maioria são casos também já considerados "complicados". Uma pessoa detida assim que cruzou a fronteira tem chances muito remotas de conseguir ficar nos EUA, e o Brasil não se enquadra nas possibilidades de pedido de asilo –são casos sem esperança, disse a fonte. No entanto, a facilitação para a deportação em massa vai tirar do governo brasileiro a possibilidade de analisar os casos e ajudar aqueles que realmente tem razões para permanecer nos EUA, de acordo com especialistas ouvidos pela Reuters. Essa é a segunda medida tomada pelo governo brasileiro para facilitar a deportação, em concordância com pedidos do governo Trump. Como mostrou a Reuters em agosto, o governo emitiu um parecer autorizando a volta de brasileiros no país apenas com um atestado de nacionalidade. Isso porque a lei brasileira proíbe a emissão de passaportes à revelia do cidadão, o que impedia o governo norte-americano de embarcar os deportados sem que eles se dispusessem a pedir um passaporte. No governo Temer, sob pressão dos EUA, foi feito um acordo para que os consulados emitissem o certificado em alguns casos, mas algumas empresas aéreas se recusavam a aceitar o documento até o parecer do governo brasileiro. Os voos fretados, no entanto, eliminam também esse problema. Não há necessidade de documento para desembarque no Brasil. O número de imigrantes brasileiros presos nos Estados Unidos tentando cruzar a fronteira pelo México aumentou mais de 10 vezes no último ano fiscal norte-americano (outubro de 2018 a setembro de 2019), chegando a 17.900, contra 1.500 no ano fiscal anterior. Em 2019, cerca de 850 mil pessoas de diversas nacionalidades foram presas tentando cruzar a fronteira dos EUA. Diplomatas brasileiros confirmaram esses números com o governo norte-americano e tentam encontrar uma explicação para o crescimento abrupto. Uma das fontes explica que pouquíssimos postos diplomáticos detectaram um aumento no movimento de imigração. Uma das hipóteses seria a de um aperto da fiscalização norte-americana em cima dos brasileiros --normalmente um grupo menor e de mais baixo risco-- para desencorajar a imigração ilegal. O número considerável de brasileiros presos levou o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS) a cogitar enviar imigrantes brasileiros de volta ao México enquanto aguardam audiência em tribunais norte-americanos, o que já é feito com imigrantes de outros países. Setenta brasileiros foram deportados dos Estados Unidos
Veja Mais

25/01 - Acusado de assassinar professora com tiro em Crato, no Ceará, é condenado a 46 anos e 7 meses de prisão em regime fechado
Elson Siebra de Deus, de 47 anos, foi condenado por homicídio qualificado e posse de arma de fogo e munição. Cartazes em protesto pela morte de Silvany Inácio de Souza na frente do fórum no Crato na manha desta sexta-feira (24). Lorena Tavares/Sistema Verdes Mares O acusado de assassinar a professora Silvany Inácio de Souza, de 25 anos, na Praça da Sé, no Crato, interior do Ceará, foi condenado pelo juri popular a 46 anos e 7 meses de prisão em regime fechado durante julgamento nesta sexta-feira (24). A sessão do tribunal do júri, realizada no auditório do Fórum Hermes Parahyba, no Bairro São Miguel, teve início às 9 horas e terminou por volta das 23 horas. Silvany foi morta pelo ex-companheiro enquanto acompanhava a festa da padroeira do município, em agosto de 2018. Após o crime, o suspeito chegou a se esconder em uma casa perto da praça, mas os policiais conseguiram entrar e prender o homem. Com ele, foram apreendidas três armas. Na ocasião, a polícia chegou a afirmar que o crime foi motivado pelo fato do ex-companheiro não aceitar o fim do relacionamento. Elson Siebra de Deus, de 47 anos, foi condenado por homicídio qualificado e posse de arma de fogo e munição, com os agravantes de usar meio que impossibilitou a defesa da vítima e perigo comum as pessoas que estavam no local. Na época do crime, cinco espingardas e um revólver foram apreendidos pela polícia na casa dele. Durante a sessão, a defesa do suspeito reconheceu que houve feminicídio, mas queria a redução da pena por não considerar que o motivo foi fútil. O advogado sustentou a tese que Elson sofre de distúrbios mentais e tentou apresentar um laudo médico. O pedido foi negado devido o documento não ter sido anexado ao processo no tempo permitido. Após a sentença, o advogado saiu sem falar sobre o caso. A tese da defesa foi contestada pela acusação, que comemorou o resultado do julgamento, conforme afirma Emanuel Jorge de Morais Santana, defensor público que estava como assistente de acusação. “Fomo felizes em demonstrar de forma muito clara para os jurados que essa tese por ele trazida em plenário não tinha respaldo em todo conjunto probatório que constava nos autos”, disse. Para Cícera de Sousa, mãe de Silvany, a condenação de Elson foi um alívio. “Estou muito confiante que essa justiça foi feita. Não é porque ele foi condenado esse tanto de anos que minha filha volta não, é a responsabilidade que eu tenho com o filho dela, de 4 anos”, afirma. A presidente do Conselho da Mulher do Crato, Vêronica Isidório, que acompanhou o caso, analisou o resultado como satisfatório para a luta contra a violência da mulher. “A gente acompanha com muito pesar, mas sempre fica satisfeita quando o resultado vem de uma forma a aplicar a justiça e responsabilizar o agressor pelo delito cometido”, disse. Mais cedo, a instituição organizou um protesto na porta do fórum.
Veja Mais

25/01 - Coronavírus chega à Malásia e à Austrália
Primeiro caso foi registrado na Austrália na madrugada deste sábado (25). Na Malásia, 3 pessoas estão com a doença. O novo coronavírus chegou à Malásia e a mais um continente, a Oceania. Três casos da doença respiratória foram confirmados neste sábado (25) no país do sudeste asiático, e outro na Austrália. Com isso, já são 12 os países em 4 continentes afetados pela infecção que surgiu na China e já matou 41 pessoas desde o início do ano. Segundo o ministro da Saúde da Malásia, Dzulkefly Ahmad, as três pessoas com a doença têm nacionalidade chinesa e são a mulher e dois netos de um homem de 66 anos que foi diagnosticado com a infecção em Singapura. Na Austrália, o caso confirmado é de um homem que chegou a Melbourne, no sudeste do país, há uma semana procedente da cidade de Wuhan, epicentro do surto na China. Segundo as autoridades australianas, ele está isolado com pneumonia e seu quadro é estável. Nas sexta-feira (24), os Estados Unidos confirmaram o 2º caso da doença no país, e a França registrou 3, os primeiros na Europa. Também há casos no Nepal, na Tailândia, Vietnã, Arábia Saudita, Coreia do Sul e Japão. Europa registra primeiras infecções por coronavírus e EUA confirmam 2º caso 41 mortes na China Funcionário remove lixo hospitalar de centro médico de Wuhan, epicentro da epidemia de coronavírus, na China AP Photo/Dake Kang Na China, onde o surto começou e o único país a registrar mortes, o número de vítimas fatais subiu para 41 na sexta-feira. São 39 mortos apenas na província de Hubei, que 15 teve casos confirmados em um mesmo dia. Na região, onde fica a cidade de Wuhan, há um total 729 infecções e 4.711 pessoas em observação. A província de Hubei tinha 13 cidades com restrições de circulação até sexta-feira, o que afeta cerca de 40 milhões de pessoas. As restrições incluem fechamento de estações de trens, rodoviárias, transportes urbanos e de circulação de carros por algumas estradas. As autoridades ainda não informaram quando essas medidas serão retiradas. A China está em uma corrida científica e estrutural para conter o avanço de novos casos de coronavírus. Além de desenvolver pesquisas para identificar detalhes da cepa do vírus e de impor restrições de circulação e fechamento de pontos turísticos, o país está construindo um hospital para tratar exclusivamente dos infectados. O empreendimento segue o modelo de Pequim para tratamento de doenças respiratórias agudas, conhecidas como SARS. O hospital terá 1 mil leitos, uma área de 25 mil m² e deverá ser inaugurado em 3 de fevereiro. Escavadeiras trabalham em área de hospital em Wuhan, na China. Nova estrutura de saúde deve ter 1 mil leitos. STR/AFP Initial plugin text
Veja Mais

25/01 - Chuva forte provoca mortes, transtornos e alagamentos na Grande BH
Chuva forte provoca mortes, transtornos e alagamentos na Grande BH Belo Horizonte tem o dia mais chuvoso da história.. Três pessoas morreram soterradas em Ibirité; uma ainda é procurada.. Cinco córregos e ribeirões transbordaram na capital.. Previsão é de mais chuva forte no estado neste sábado.
Veja Mais

25/01 - Morre aos 84 anos Ibsen Pinheiro, ex-presidente da Câmara
Ex-deputado presidiu a Câmara durante o processo de impeachment de Fernando Collor. Ele estava internado em um hospital de Porto Alegre (RS). Ibsen Pinheiro PMDB política Galileu Oldenburg/Divulgação PMDB Morreu nesta sexta-feira (24), aos 84 anos, o ex-deputado Ibsen Pinheiro. Ele foi presidente da Câmara durante o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992. Ibsen estava internado em um hospital de Porto Alegre (SP). Filiado ao MDB do Rio Grande do Sul, foi deputado federal por quatro legislaturas, entre 1983 e 2011. Ibsen também foi integrante da Assembleia Nacional Constituinte, responsável pela Constituição de 1989. Além da carreira política, Ibsen era jornalista, advogado e atuou como promotor e procurador da Justiça. No futebol, ele foi presidente do Inter. Morreu aos 84 anos Ibsen Pinheiro, ex-presidente da Câmara dos Deputados Repercussão Em uma rede social, o presidente da Câmara do Deputados, Rodrigo Maia, lamentou a morte de Ibsen e disse que ex-deputado comandou a casa em um dos momentos mais importantes da democracia brasileira, além de ser um exemplo. "Ibsen foi um exemplo para mim, tive a oportunidade de conviver e aprender muito com ele. Perdemos um homem público diferenciado", escreveu Maia. O ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirmou que Ibsen foi um dos mais brilhantes políticos brasileiros. "Com uma enorme capacidade de formulação e de compreensão da política. Fará muita falta ao Rio Grande e ao Brasil!", escreveu em uma rede social. O Sport Club Internacional também prestou homenagem ao político e ex-presidente do time. "Nossos caminhos estarão ligados para sempre. A paixão e o trabalho de Ibsen Pinheiro levaram o Clube do Povo ao topo do Brasil", postou o clube. Initial plugin text
Veja Mais

25/01 - Mega-Sena pode pagar R$ 40 milhões neste sábado
Apostas podem ser feitas até 19h do dia do sorteio em lotéricas ou pela internet. Valor da aposta mínima é de R$ 4,50. Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até às 19h Marcelo Brandt/G1 O concurso 2.228 pode pagar um prêmio de R$ 40 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre neste sábado (25) em São Paulo (SP). A aposta mínima custa R$ 4,50. Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.
Veja Mais

25/01 - Dupla invade residência e mata adolescente de 14 anos na frente do pai em Fortaleza
Crime teria sido motivado pela publicação de um símbolo de uma facção em uma rede social. Jovem estava na sala de casa, no Bom Jardim, quando foi atingido pelos disparos. Rafaela Duarte/ SVM Dois homens invadiram uma residência e mataram a tiros um adolescente de 14 anos na frente do próprio pai na Rua Barra Vermelha, no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza, na noite desta sexta-feira (24). Conforme o tenente Renir, do 17º Batalhão da Polícia Militar, o jovem estava na sala de casa quando foi atingido pelos disparos. Os suspeitos chegaram no local a pé e fugiram após o homicídio. Ainda segundo o tenente Renir, uma das suspeitas é que o crime tenha sido motivado por uma publicação em uma rede social. "Ele postou nas redes sociais um símbolo de uma facção rival e esses dois homens, que são de outra área, não gostaram e executaram ele", afirma. Agentes realizam buscas na região para tentar identificar e capturar os autores do crime. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) irá investigar o caso.
Veja Mais

25/01 - Barreira atinge trecho da RJ-142, a Estrada Serramar, em Nova Friburgo
Deslizamento de terra ocorreu no km 14, na tarde desta sexta-feira (24), ocupando boa parte da pista. DER disse que remoção da barreira será feita neste sábado (25). Motoristas devem ficar atentos ao km 14 da Estrada Serramar após queda de barreira Reprodução Redes Sociais Uma barreira atingiu um trecho da RJ-142, a Estrada Serramar, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, na tarde desta sexta-feira (24). O deslizamento ocorreu no km 14 deixando parte da pista bloqueada pelo barro e por uma árvore que se desprendeu da encosta. Motoristas que passaram pelo trecho, próximo à Macaé de Cima, zona rural da cidade, disseram que o local se encontra em meia-pista. Um instrutor que atua na empresa de transporte público da cidade alertou para o perigo na via, já que a queda da barreira ocorreu perto de uma curva. Ele explica que sempre que há problemas nas estradas, ele se desloca até o ponto para verificar as condições da área. O G1 entrou em contato com o Departamento de Estrada de Rodagem (DER) e foi informado que a barreira será retirada neste sábado (25). Motoristas devem ficar atentos, já que o órgão não informou se alguma sinalização foi colocada no trecho para alertar os motoristas sobre o deslizamento.
Veja Mais

25/01 - PRF apreende cerca de 30 kg de peixe e outros 8,2 de cocaína na BR-364 em RO
Abordagens aconteceram nos quilômetros 717 e 759 da rodovia nesta sexta-feira (24). Suspeitos foram presos. Mais de 8 kg de droga foram encontradas pela PRF nesta sexta-feira (24) na BR-364. Divulgação/PRF Cerca de 30 quilos de pescado transportado de forma irregular e outros 8,2 de cocaína foram apreendidos nesta sexta-feira (24) por equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no km 717 e 759 da BR-364. Os suspeitos foram presos. Conforme a PRF, o flagrante de peixes ocorreu pela manhã no km 717, quando agentes deram ordem de parada a um táxi com duas pessoas. Ao notarem o nervosismo do motorista, os policiais decidiram fazer uma busca pelo veículo, encontrando cerca de 30 quilos de pescado sendo transportados no assoalho do automóvel e sem a devida refrigeração. Agentes flagraram transporte irregular de pescado também nesta sexta-feira (24) na BR-364. Divulgação/PRF Já no período da tarde, por volta das 15h30, um outro táxi foi parado pela PRF. Dessa vez, a abordagem aconteceu no km 759 da rodovia. Os agentes flagraram um dos passageiros transportando 8,2 quilos de cocaína dentro de uma sacola e distribuídos em tabletes. Segundo a polícia, o suspeito de 37 anos disse que estava levando a droga de Guajará-Mirim com destino a Porto Velho. Por crimes de transporte de pesca proibida e de tráfico de drogas, os suspeitos receberam voz de prisão e foram encaminhados à Central de Flagrantes de Porto Velho, onde permanecem à disposição da Justiça.
Veja Mais

25/01 - Monobloco e grupo Samba Solto tocam neste fim de semana em Quissamã no Sesc Verão 2020
Evento também contará com ações de saúde, oficinas de sustentabilidade e apresentação circense. Monobloco vai agitar a programação do Sesc Verão 2020 em Quissamã neste sábado (25) Sesc Verão 2020/Divulgação O fim de semana do Sesc Verão 2020 na Praia do João Francisco, em Quissamã, vai contar com shows gratuitos do Monobloco, neste sábado, às 22h, e do grupo Samba Solto, no domingo (25), às 16h30. O evento segue até o dia 16 de fevereiro com extensa programação para toda a família. São atividades esportivas, recreativas, de lazer e voltadas para os cuidados com a saúde. Toda programação pode ser acessada na página do Sesc Rio O projeto Sesc Verão em Quissamã é realizado pelo Sesc RJ, em parceria com a Inter TV e apoio da Prefeitura local. A programação completa em todas as cidades que recebem o projeto pode ser consultada no site do evento. Monobloco em Quissamã Neste sábado, às 22h, o Monobloco vai sacudir o público com grandes sucessos da música popular brasileira. Fundado no Rio de Janeiro, o Monobloco surgiu a partir da banda Pedro Luis e a Parede, formada em 1996, por Pedro Luis, Celso Alvim, Mário Moura, Sidon Silva e C.A Ferrari. Nos anos 2000, os integrantes tiveram a ideia de criar uma oficina para batuqueiros, um projeto de ensino de instrumentos de percussão e daí surgiu o "Monobloco". A banda ganhou tanta notoriedade que se oficializou como bloco de Carnaval e, graças ao sucesso ao longo dos anos, leva, até hoje, milhares de fãs em seus desfiles não só do RJ, como de SP e BH, cidades onde também acontecem suas oficinas de percussão. Grupo Sampa Solto No sábado (26), às 16h30, será a vez da apresentação do grupo Samba Solto, com repertório que abrange todas as vertentes do samba, pagode e vários ritmos da música popular brasileira. Em breve, o Samba Solto lançará nas rádios da região seu novo CD “Samba Solto Mesmo”, que irá trazer toda magia e irreverência de um verdadeiro samba. Esporte Na parte esportiva, o grande destaque é a Clínica de Natação, neste domingo (26), das 9h às 13h, com o campeão paralímpico Clodoaldo Silva. Conhecido como “Tubarão das Piscinas”, Clodoaldo é um atleta que, por conta de uma falta de oxigenação durante o parto, nasceu com paralisia cerebral, o que afetou seus membros inferiores. Clodoaldo Silva participa da Clínica de Natação do Sesc Verão 2020 em Quissamã neste domingo (26) Sesc Verão 2020/Divulgação Considerado o atleta paralímpico mais popular do Brasil, suas conquistas ajudaram o país a reconhecer o esporte de alto rendimento para pessoas com deficiência. Em 2005, recebeu do Comitê Olímpico do Brasil uma honraria pelo desempenho excepcional e que apenas ele, Ronaldo Fenômeno e Ronaldinho Gaúcho receberam. O atleta possui 14 medalhas paralímpicas (6 ouros, 6 pratas e 2 bronzes) e acumula mais de 700 medalhas na sua carreira. Ele foi o responsável por acender a Pira Paralímpica nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016. Oficinas sustentáveis As oficinas sustentáveis acontecem aos sábados e domingos, sempre das 9h às 12h e das 14h às 17h. No sábado (25), pessoas com idade a partir de 16 anos poderão participar de atividades de sustentabilidade, como oficinas de trabalhos manuais, com incentivo à criação de peças originais. A proposta do Sesc+Criativo é ensinar técnicas diversas a partir de materiais com baixo investimento, para que, posteriormente, o aluno continue a produzir e empreender. No domingo (26) serão realizadas oficinas Sesc+Sustentabilidade, para crianças a partir de 10 anos. Os participantes poderão conhecer um pouco mais sobre reaproveitamento de resíduos, dando um novo significado e utilidade ao que um dia já foi um recurso natural. Temas como ecobags de banner, acessórios com escamas de peixe, eco cartonagem, vasos autoirrigáveis com garrafas PET e customização de camisetas fazem parte das atividades oferecidas. Amantes da astronomia Ainda no domingo, nos mesmos horários, o público poderá participar da ação “Observando o Céu”, na qual será possível conhecer as constelações, descobrir novas estrelas, acompanhar a surgimento da Lua e contemplar o Sol. O público terá a oportunidade de tirar dúvidas e aprender muitas curiosidades do universo. A atividade será realizada em parceria com o Clube de Astronomia Louis Cruls. Saúde e teatro O público contará ainda com orientações de saúde (como aferição de pressão, testes glicêmico e de colesterol, orientações de IST e hidratação) e massoterapia. E uma das atrações para a garotada será o espetáculo “O Menor Picadeiro do Mundo”, no dia 26/01, às 11h. O ator, cantor, instrumentista e dublador niteroiense, Diego Marques, apresenta seu mais reconhecido personagem, o Palhaço Funil, em uma peça para lá de divertida. Capitaneado pela Gerência de Lazer do Sesc RJ, o Sesc Verão tem como objetivo levar lazer, bem-estar e qualidade de vida à população, através dos serviços oferecidos pela instituição durante todo o ano.
Veja Mais

25/01 - Candidatas ao título de 'Rainha das Rainhas' do carnaval do Amapá são apresentadas
Ao todo, 18 beldades concorrem à coroa e ao prêmio de R$ 10 mil. Candidatas que compareceram ao evento e foram apresentadas Rafaela Bittencourt/Rede Amazônica Foram apresentadas na noite desta sexta-feira (24) as concorrentes ao tradicional concurso "Rainha das Rainhas do Carnaval Amapaense", organizado pelo Trem Desportivo Clube. A disputa acontece há 39 anos e é marcada como um dos principais eventos que abrem a folia no Amapá. Das 18 candidatas, apenas 11 participaram da cerimônia, que ocorreu na sede do Trem, em Macapá. Elas representam diversas entidades, como escolas de samba, empresas, municípios e instituições públicas. A escolha da mais bela será em cerimônia no dia 15 de fevereiro. A vencedora terá que convencer os jurados em vários quesitos como beleza, simpatia, desenvoltura em desfiles com trajes de gala e de carnaval. Além do título de rainha, a vencedora leva R$ 10 mil. As concorrentes que ficarem em 2º e 3º lugares são coroadas princesas do carnaval e ganham R$ 2 mil e R$ 1 mil, respectivamente. "Abre um grande leque para essas meninas que sonham com coisas melhores. A expectativa é grande, vai ser o maior concurso do ano e o público espera por isso. Vai ser uma grande festa, um grande desfile e que vença a melhor", disse Socorro Marinho, presidente do Trem e coordenadora do concurso. A apresentação contou com a presença da atual Rainha das Rainhas, a estudante Maiane Nunes, que em 2020 vai passar a coroa e a faixa para a próxima vencedora. Meninas representam empresas, escolas de samba, clubes, entre outras entidades Rafaela Bittencourt/Rede Amazônica Para a cerimônia do dia 15 de fevereiro, o público poderá torcer pela candidata preferida adquirindo mesas, com valores entre R$ 100 e R$ 350, ou lugares na arquibancada, ao preço de R$ 15. As vendas estão sendo feitas na sede do Trem, localizada na Rua General Rondon, esquina com a Avenida Feliciano Coelho, na Zona Central. O concurso, além das apresentações das candidatas, terá shows musicais com Banda Bahamas, Trio BomKiSó e Adail Júnior. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
Veja Mais

25/01 - Prefeitura de Maringá abre processo para escolher empresa que deve implantar reconhecimento facial em ruas e praças
Empresas interessadas em prestar o serviço devem apresentar propostas à Secretaria Municipal de Segurança Pública. Município quer reconhecimento facial em ruas e praças A prefeitura de Maringá, no norte do Paraná, abriu concorrência para monitoramento de ruas, praças e parques com tecnologia de reconhecimento facial, contagem de pessoas e identificação de placas de veículos. Empresas interessadas em prestar o serviço devem apresentar propostas à Secretaria Municipal de Segurança Pública. Conforme o edital publicado na quinta-feira (23) pelo município, os projetos serão avaliados por uma comissão e, caso aprovados, terão prazo de 20 dias para entrar em prática a partir da assinatura do convênio. O edital não exige um número mínimo de câmeras, mas estabelece pré-requisitos às empresas como, além dos serviços de reconhecimento facial, contagem de pessoas e identificação de placas, também ofereçam soluções em cercas virtuais e soma de veículos. A empresa selecionada terá 90 dias, a partir da instalação dos equipamentos, para demonstrar a eficiência do serviço. Atualmente, a tecnologia utilizada pela Guarda Municipal de Maringá na segurança da cidade são as chamadas supercâmeras, que estão espalhadas em 70 pontos da cidade. As imagens dessas câmeras são monitoradas na central da Guarda Municipal, mas dependem da atenção dos operadores para a identificação de situações suspeitas. O município ainda não divulgou o valor máximo que pretende gastar com o sistema. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Veja Mais

25/01 - VÍDEOS: JRO 2ª edição de sexta-feira, 24 de janeiro de 2020
Veja o que foi notícia no estado. Veja o que foi notícia no estado.
Veja Mais

25/01 - Usina embargada por mau cheiro perde ação na Justiça contra Prefeitura de Maringá
Na decisão desta sexta-feira (24), o juiz argumenta que o município agiu dentro da lei ao embargar as atividades da empresa. Empresa perde ação contra embargo por emissão de mau cheiro Uma empresa de Maringá, no norte do Paraná, acusada de espalhar mau cheiro na cidade perdeu, na Justiça, uma ação contra o embargo das atividades pela prefeitura. A sentença, publicada nesta sexta-feira (24), é do juiz Frederico Mendes Júnior, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Maringá. Na decisão, o juiz argumenta que o município agiu dentro da lei ao embargar as atividades da empresa. "O órgão municipal agiu dentro da sua competência e o processo administrativo tramitou legal e regularmente, sendo assegurada à empresa autuada a oportunidade de exercer o contraditório e a ampla defesa na oportunidade que a lei lhe reserva", diz um trecho da decisão. A empresa de compostagem Maringá Orgânicos teve as atividades embargadas pela fiscalização da prefeitura em janeiro de 2019. De acordo com o município, a empresa, que transforma lixo orgânico em adubo, realizou obras de ampliação sem proteção suficiente para evitar que o mau cheiro da atividade chegasse à cidade. Os advogados da empresa apresentaram recurso contra o embargo na 1ª Vara da Fazenda Pública, com pedido de liminar. A liminar foi negada pelo juiz de primeira instância. A empresa recorreu e obteve autorização do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) para seguir com as atividades, até que o caso fosse julgado. O município recorreu contra a liminar, mas a decisão do TJ, em manter a empresa em funcionamento, foi confirmada pelo Superior Tribunal de Justiça. A Prefeitura de Maringá informa que ainda não foi notificada da decisão. A defesa da empresa ainda não se manifestou. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Veja Mais

25/01 - Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba; VÍDEO
Vizinhos de Valmir Lima, de 62 anos, disseram que o encontraram vestido apenas com fraldas. Vítima apresentava sangramento no abdômen e morreu após ser levado novamente ao hospital. Polícia investiga abandono de idoso doente A Polícia Civil investiga a suspeita de abandono do idoso Valmir Gonçalves de Lima, de 62 anos, em uma calçada no bairro Umbará, em Curitiba. Vizinhos disseram à polícia que ele foi encontrado vestido apenas fraudas e com sangramento no abdômen. Conforme a polícia, o idoso estava internado no Hospital Angelina Caron e foi levado, de ambulância, até a casa de familiares, na terça-feira (21). De acordo com a polícia, na data, ninguém estava no local para recebê-lo. Vizinhos do idoso disseram à polícia que o encontraram na parte de fora da casa, sentado em uma cadeira de rodas, apenas com fraldas. Ele apresentava sangramento na região do abdômen, conforme os vizinhos. Assista ao vídeo acima. Valmir Lima estava internado desde 11 de dezembro do ano passado. Os vizinhos afirmaram à polícia que, quando encontraram o idoso na calçada, decidiram levá-lo para a garagem e o cobriram com uma manta. Os vizinhos denunciaram, segundo a polícia, que o idoso foi deixado no local pela ambulância do hospital. Morte do idoso Ainda na data em que foi encontrado pelos vizinhos, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levou o paciente de volta ao hospital. Mas, no dia seguinte, ele morreu. De acordo com a Polícia Civil, o laudo apontou cirrose hepática alcoólica e insuficiência renal crônica como causas da morte. Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba Reprodução/RPC O irmão da vítima disse que morava com ela antes do internamento e afirmou que procurou pelo idoso no hospital, mas não o encontrou. "Quando eu fui visitar ele [o idoso], levar fraldas, eles me falaram que ele estava no setor de alta. Daí, eu fui até lá, e eles me informaram que ele já tinha ido para casa. Mas, como eu moro sozinho, a casa estava toda fechada", disse o irmão Cidionir Lima. O que diz o hospital O Hospital Angelina Caron negou que tenha deixado o idoso na calçada e afirma que ele foi levado de ambulância, acompanhado por um enfermeiro e um assistente social até o domicílio de cadastro. De acordo com o hospital, a equipe foi recebida por um morador que se identificou como amigo da família e cuidador do idoso. A pessoa informou que o paciente morava com um irmão em outro endereço, para onde a ambulância se dirigiu. "Neste segundo endereço, um vizinho recebeu o paciente e disse que aguardaria no local a chegada de um familiar. A equipe do hospital insistiu que permaneceria ali até o familiar chegar, mas o vizinho a dispensou", informou. Segundo o hospital, não há registro de visita de familiares durante os períodos de internamento do idoso. O hospital disse que registrou, em 27 de dezembro, uma denúncia no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Quatro Barras sobre o abandono do paciente pela família. Conforme a nota do hospital, a família do idoso "se recusou a ir buscá-lo todas vezes que o paciente teve alta". O hospital disse também que abriu uma sindicância interna para apurar os fatos, e que a direção pretendia acionar o Ministério Público do Paraná por abandono de incapaz. O Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Cras) de Quatro Barras informou que, quando foi avisado pelo hospital, ofereceu uma vaga para Valmir em uma casa de acolhimento, mas o idoso acabou ficando no hospital. Hospital Angelina Caron negou que equipe tenha deixado idoso em calçada, após receber alta Reprodução/RPC Leia a nota do hospital, na íntegra: "O Hospital Angelina Caron informa que o paciente Valmir Gonçalves de Lima, de 62 anos, recebeu alta no dia 21 de janeiro, e foi levado de ambulância acompanhado de enfermeiro e assistente social até o domicílio de cadastro. A equipe foi recebida por um morador que se identificou como amigo da família e cuidador do idoso. Essa pessoa informou que o paciente morava com um irmão em outro endereço, para onde a ambulância se dirigiu. Neste segundo endereço, um vizinho recebeu o paciente e disse que aguardaria no local a chegada de um familiar. A equipe do hospital insistiu que permaneceria ali até o familiar chegar, mas o vizinho a dispensou. Em nenhum momento o paciente foi deixado sem acompanhamento. O transporte do paciente foi providenciado pelo hospital, pois nenhum familiar se dispôs a buscá-lo após comunicada a alta. No hospital não há registro de visita de familiares durante os períodos de internamento dele. No dia 27 de dezembro, o Hospital Angelina Caron registrou uma denúncia no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Quatro Barras sobre o abandono do paciente pela família, que se recusou a ir buscá-lo todas vezes que o paciente teve alta. O hospital abriu uma sindicância interna para apurar os fatos. Não existe no Hospital Angelina Caron a prática de levar o paciente para casa pós-alta. Foi um caso isolado, pois é raro o hospital vivenciar esse tipo de situação, em que a família abandona o paciente. Como o hospital não oferece esse serviço, não há um protocolo que estabeleça que a pessoa que recebe o paciente em casa deva assinar". Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Veja Mais

25/01 - Descontos de IPVA para finais de placa 02 a 32 seguem até a próxima segunda, 27
Motoristas que não têm multas de trânsito há dois anos pagam 15% a menos sobre o valor do IPVA. Proprietários de veículos com final de placas 02 a 32 poderão pagar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) com desconto até a próxima segunda (27). Motoristas que não têm multas de trânsito há dois anos pagam 15% a menos sobre o valor do IPVA; 10% para quem não recebeu multas no ano passado, e 5% de desconto nas demais situações. O benefício não é cumulativo. Há três opções de pagamento do IPVA: antecipação em parcela única, com desconto; parcelamento em até três vezes antes do vencimento, sem desconto; ou pagamento integral junto com o licenciamento, também sem desconto. Após a data do licenciamento, a quitação será feita com acréscimo de multas e juros. Para antecipar o pagamento do IPVA em três parcelas deve-se observar a data final no calendário disponível no site da Sefa. O contribuinte pode acessar o Portal de Serviços, no item IPVA Antecipação, para consultar o valor do imposto e emitir o documento de arrecadação (DAE), para pagamento em cota única ou parcelado. A quitação é feita na rede bancária autorizada (Banpará, Banco da Amazônia, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú e Caixa Econômica Federal), além das casas lotéricas. Quando não há antecipação do recolhimento do imposto, o IPVA será pago no boleto anual do Detran. As alíquotas do IPVA são 2,5% para automóveis, caminhonetes e veículos aquaviários recreativos ou esportivos, inclusive jetsky e veículos aeroviários não destinados à atividade comercial; 1% para ônibus, micro-ônibus, caminhões, cavalos mecânicos, motocicletas e similares. Os do tipo rodoviários com mais de 15 anos de fabricação estão isentos. Embarcações e aeronaves têm até o dia 30 de junho para recolher o IPVA. Débitos Vencidos O parcelamento do IPVA em atraso, ou seja, referente aos anos anteriores ao exercício atual, pode ser feito diretamente no Portal de Serviços da Sefa na internet. Em caso de dúvidas, o órgão disponibiliza o número 0800.725.5533. A ligação é gratuita e atende das 8h às 20h de segunda à sexta-feira. O contribuinte pode também enviar email para atendimento@sefa.pa.gov.br.
Veja Mais

25/01 - Refugiados venezuelanos recebem serviços de saúde na Rodoviária de Manaus
Entre atendimentos oferecidos no local, estão consultas médicas, vacinações e testes rápidos. Neste sábado (25), a partir das 8h, refugiados venezuelanos do entorno da Rodoviária de Manaus receberão serviços de saúde, durante uma ação integrada entre órgãos locais e internacionais. Serão oferecidas vacinas, consultas, entrega de medicamentos, exames de pele, testagem rápida e exame ginecológico. A ação será realizada numa parceria entre o Governo do Amazonas, por meio das secretarias de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), com Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas (Acnur), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Organização Internacional para as Migrações (OIM) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Atualmente, a Sejusc atua na articulação de ações de saúde, cidadania e de incentivo ao empreendedorismo à migrantes venezuelanos no estado do Amazonas. O órgão é responsável pela vinda para Manaus da “Operação Acolhida”, do Governo Federal, por meio do Ministério da Defesa.
Veja Mais

25/01 - Carnaval 2020: ouça os sambas-enredo das 10 escolas de samba do Amapá
Dez agremiações vão desfilar na capital em 21 e 22 de novembro. Dez agremiações vão desfilar na capital em 21 e 22 de novembro.
Veja Mais

25/01 - Matrículas nas escolas públicas municipais de Belém podem ser feitas online
Portal da Semec recebe matrículas para preencher 14 mil vagas da educação infantil, do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A população agora conta com uma central online para fazer a matrícula nas escolas públicas municipais de Belém. A Secretaria Municipal de Educação (Semec), neste terceiro período de matrículas, disponibiliza 14 mil vagas para alunos da educação infantil, do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A inscrição deve ser feita online e depois confirmada na escola selecionada com a entrega dos documentos do aluno. Para os pais que sentirem dificuldade para fazer a inscrição de seus filhos, a Semec disponibiliza uma Central de Atendimento da Comissão de Matrícula, que funciona de 8h às 14h no prédio da secretaria, localizado na avenida Governador José Malcher, 1291. A Central, que funciona desde a primeira etapa de matrículas, disponibiliza ainda contatos para mais informações no número (91) 3075-5410.
Veja Mais

25/01 - Climatologista explica alertas de chuva para o Triângulo e Alto Paranaíba
De acordo com professor da UFU, é preciso levar em consideração fatores como a região geográfica da cidade. Bombeiros indicam como evitar situações de risco. Previsão é que as chuvas fortes ocorram até o dia 30 de janeiro Via Drones/Divulgação O professor de climatologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Paulo Cézar Mendes, explicou, nesta sexta-feira (24), os alertas emitidos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), para o Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. De acordo com o professor, o estado de alerta divulgado para outros locais do estado não devem ser levados em consideração para as cidades da região. “Quando comparamos a nossa situação com Belo Horizonte, por exemplo, ela é muito mais tranquila, pois estamos em uma região geográfica diferente. Nós temos uma topografia diferente daquela que ocorre na capital. Então, quando o Inmet passa esses alertas meteorológicos sobre a possibilidade de chuva mais intensa, nós temos que analisar a região geográfica onde a cidade está instalada”, explicou Paulo Cézar. Ainda segundo o docente, a previsão é que as chuvas fortes ocorram até o dia 30 de janeiro. Ele informou também, que as precipitações devem ocorrer com mais frequência no período da tarde. “Essas chuvas, normalmente, vem acompanhadas de rajadas de vento, trovoadas, descargas elétricas”, completou o climatologista. Cuidados Mesmo com chuvas menos intensas, comparadas a outras regiões do estado, a população do Triângulo Mineiro deve ficar atenta durante os períodos chuvosos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as pessoas devem buscar abrigo em locais seguros e ficarem atentas a possíveis quedas de árvores e rompimento da rede elétrica. “A principal dica é que as pessoas não trafeguem por áreas suscetíveis a inundação. E se trafegar e o nível de água subir rapidamente, que essa pessoa tente abandonar o veículo. Sobre as quedas, não existe árvore totalmente isenta. Existem aquelas que têm risco iminente, por algum problema que ela possua, mas toda árvore tem um risco. Então, nesse período, a gente aconselha que as pessoas não fiquem transitando próximas a árvores ou próximas a fiação”, alertou a tenente do Corpo de Bombeiros, Grazielle Ferreira. Para manter a população informada, o Corpo de Bombeiros faz atualizações constantes sobre o clima pelas redes sociais. O endereço dos perfis é @bombeirosuberlandia.
Veja Mais

25/01 - Paraná gera mais de 51 mil empregos com carteira assinada em 2019, indica Caged
Números foram divulgados nesta sexta-feira (24) pelo Ministério da Economia; saldo entre admissões e desligamentos foi o melhor do estado desde 2013. Comércio foi um dos setores responsáveis pelo saldo positivo de empregos no Paraná Felipe Rosa/ ACP-PR O Paraná fechou 2019 com a geração de 51.441 empregos com carteira assinada, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira (24) pelo Ministério da Economia. Os setores de serviços, comércio e construção civil impulsionaram o resultado. Veja mais abaixo as cidades com os maiores saldos. Os dados indicam que o saldo entre admissões e demissões de trabalhadores foi o melhor do estado desde 2013, quando foram criados 90,3 mil postos de trabalho. Brasil cria 644 mil empregos formais em 2019 No comparativo com 2018, o crescimento na geração de empregos no ano passado foi de 27,7%. Naquele ano, foram criados 40.256 vagas formais. De acordo com o Governo do Paraná, o estado fechou 2019 com o quarto maior volume de carteiras assinadas do país, com 2.655.253 de empregados. Historicamente, o mês de dezembro apresenta saldo negativo de empregos. Nesse mês no ano passado, a diferença entre contratações e desligamentos foi negativa em 22,7 mil postos de trabalho. Para a economista do Departamento do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), Suelen Glinski, o saldo do ano passado confirma a recuperação da economia do estado. “O Paraná criou empregos independente de sazonalidades. Essa trajetória regular e com destaque nos índices nacionais mostra que os investimentos projetados para diversos setores tendem a manter essa curva ascendente nos próximos anos”, afirmou. Saldo de empregos por setor em 2019 Extrativa mineral: - 16 Indústria: + 1.462 Serviços industriais de utilidade pública: - 264 Construção civil: + 6.036 Comércio: + 13.610 Serviços: + 32.311 Administração pública: + 247 Agropecuária: -1.945 Conforme o governo estadual, os subsetores da economia que mais geraram empregos formais foram o comércio e administração de imóveis (19.340), serviços de alojamento alimentação e manutenção (5.120) e serviços médicos, odontológicos e veterinários (4.074). Os melhores resultados na indústria correspondem aos subsetores da metal-mecânica, metalurgia e alimentícia, informou o governo. Municípios com maiores saldos em 2019 Curitiba: 19.325 Maringá: 3.781 São José dos Pinhais: 3.158 Cascavel: 2.265 Pato Branco: 2.159 Fazenda Rio Grande: 1.381 Cornélio Procópio: 1.161 Pinhais: 1.134 Foz do Iguaçu: 1.121 Toledo: 1.118 Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Veja Mais

25/01 - Morre no Rio o jornalista Sérgio Noronha, aos 87 anos
Noronha foi um dos mais populares cronistas esportivos do país. Trabalhou na Globo de 1975 até 2009. Ele tinha Alzheimer e morreu por complicações de uma pneumonia. Morre, aos 87 anos, o comentarista Sérgio Noronha Morreu nesta sexta-feira (24), aos 87 anos, o jornalista Sérgio Noronha. Um comentarista que os torcedores brasileiros aprenderam a respeitar nos jornais, no rádio e na televisão. Futebol e jornalismo. Duas paixões de uma vida inteira. Nos anos 50, um curioso e interessado office boy da revista “O Cruzeiro” ganhou uma chance como redator. Começava a trajetória de um dos mais populares cronistas esportivos do país. O carioca Sérgio Noronha escreveu em vários diários até ganhar as páginas do “Jornal do Brasil” e se tornar referência no texto esportivo. No rádio e na televisão, demonstrou o mesmo talento. “A diferença dele é que ele soube passar de uma boa linguagem escrita para uma boa linguagem falada”, disse o repórter Marcos Uchôa. A relação de Sérgio Noronha com a televisão foi longa, mais de 40 anos. Na Globo, começou em 1975. Trabalhou na Globo até 2009. “Tem que ter uma medida da sua crítica, da sua transmissão, da sua narração muito boa. Não diga nada se não tiver certeza”, declarou Noronha ao projeto Memória Globo. “O jornalismo esportivo perdeu um grande profissional e eu perdi um grande amigo”, afirmou o comentarista Arnaldo Cezar Coelho. Nos últimos anos, foi diagnóstico com Alzheimer. Em 2018, passou a morar no Retiro dos Artistas. Após contrair uma pneumonia, ficou internado dez dias num hospital da Zona Sul do Rio, onde morreu nesta sexta-feira (24), de parada cardíaca, aos 87 anos. “Faço sempre questão de frisar a parceria que fiz com Sérgio Noronha na Copa do Mundo de 1982, na Espanha, na Rede Globo. Ali aprendi muito. Noronha me ensinou a ser um profissional mais completo e uma pessoa humana muito melhor. Que Deus o receba com muito amor e muito carinho, seu Nonô”, disse o narrador Galvão Bueno.
Veja Mais

25/01 - Órgãos alertam para alto risco de alagamento em ilhas de Belém na maré cheia dos próximos dias
Os riscos são considerados altos para índices de marés a partir de 3 metros quando coincidentes com chuvas fortes e altíssimos para marés a partir de 3,5 metros. Desta sexta-feira (24) até a próxima quarta (29), a maré alta pode ocasionar alagamentos nos distritos de Mosqueiro, Outeiro e demais ilhas. Para reduzir os impactos e alertar a população para possíveis danos, a Prefeitura de Belém está atuando no monitoramento das marés e na prevenção de acidentes ocasionados por enchentes. Servidores da Defesa Civil Municipal, da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), das Agências Distritais de Mosqueiro (Admos) e de Outeiro (Arout), da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e da Guarda Municipal de Belém (GMB) atuam de forma integrada em ações educativas e preventivas. Os riscos são considerados altos para índices de marés a partir de 3 metros quando coincidentes com chuvas fortes e altíssimos para marés a partir de 3,5 metros. Confira os dias e horários das marés com riscos moderados e altos, conforme informações da Marinha do Brasil: - 24/01 - 22h54, 3,7m - Alerta de risco altíssimo para maré alta à noite. - 25/01 - 11h32, 3,4m e 23h32, 3,7m - Alerta de risco alto para maré alta de manhã e altíssimo para maré alta à noite. - 27/01 - 0h02, 3,7m - Alerta de risco altíssimo para maré alta de madrugada. - 28/01 - 0h39, 3,6m - Alerta de risco altíssimo para maré alta de madrugada. - 29/01 - 1h08 - 3,4m - Alerta de risco alto para maré alta de madrugada.
Veja Mais

25/01 - Polícia descobre que Cedae joga esgoto in natura nas lagoas do Rio
Peritos jogaram um líquido vermelho em galerias onde corria esgoto sem tratamento e encontraram a água tingida num rio que deságua na Lagoa de Jacarepaguá. Polícia Civil do Rio diz que a Cedae despeja esgoto em tubulações que deságuam em lagoas A Polícia Civil do Rio descobriu que a própria companhia de abastecimento do estado tem despejado esgoto na tubulação que deságua em lagoas. Já faz 24 horas que o carvão ativado começou a ser lançado na água que sai da estação de tratamento da Cedae no Guandu. A estimativa é que, dentro de uma semana, a água fornecida pela empresa volte a ser consumida sem gosto e sem cheiro de terra. Essa alteração, que começou a ser notada há 21 dias, foi provocada pela presença, na água, pela enzima geosmina, produzida por algas. Mas, desde dezembro de 2019, bem antes da crise da geosmina, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio já vinha sendo investigada pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. O motivo não foi a água, mas o esgoto, lançado das tubulações da Cedae nas galerias que recebem água de chuva. O resultado é que esse esgoto acaba indo para canais como os que desaguam em lagoas da Zona Oeste da cidade. Imagens foram feitas por peritos que coletaram amostras de água da rede da Cedae. Os exames foram acompanhados por delegados e promotores dos ministérios públicos estadual e federal. Os peritos jogaram um líquido vermelho em galerias onde corria esgoto sem tratamento e acompanharam o fluxo. Eles encontraram a água tingida num rio que deságua na Lagoa de Jacarepaguá. As amostras foram enviadas para laboratórios especializados e os resultados são conclusivos. A Cedae está lançando esgoto sem tratamento nas galerias administradas pela empresa do município do Rio, responsável pelas galerias de águas pluviais e controle de enchentes. Os testes indicaram a presença de coliformes fecais 25 mil vezes acima do que é considerado tolerável pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente. A investigação foi encaminhada para o Ministério Público pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. E não é só. Uma água suja, que sai diariamente da Estação de Guandu, cai num rio logo em frente. Moradores da região reclamam do cheiro e dizem que isso acontece há, pelo menos, 25 anos. “Ele solta tipo resíduo, entendeu? Aí sobe esse cheiro. O cheiro não é de esgoto, é um cheiro tipo de ferro”, contou Wagner Luis de Jesus Câmara, desempregado. Pela marca na margem do córrego, é possível ver até onde vai o nível da água que é despejada, sempre, no fim da tarde. “Tem dia que é ferrugem, tem dia que é esgoto. Tem um montão de tipo de água que passa aí”, disse o aposentado Antônio Carlos. O engenheiro sanitarista Adacto Ottoni, da Uerj, diz que o mais provável é que a sujeira seja resíduo da lavagem de decantadores da estação de tratamento. “A estação de tratamento de água é uma indústria e, como toda indústria, gera resíduos. Esses resíduos são, principalmente, da lavagem dos decantadores. Esses resíduos têm que ser coletados, tratados e dados numa disposição final que não pode ser numa galeria de água pluvial ou num rio, que vai acabar poluindo os corpos hídricos naturais”, explicou A Cedae declarou que ligações clandestinas podem descartar, no sistema pluvial, esgoto não tratado sem o conhecimento da companhia, e que faz ações para coibir essas ligações. O Jornal Nacional pediu explicação para Cedae sobre a poluição que é descartada da Estação do Guandu, mas não houve resposta.
Veja Mais

25/01 - Jovem baleado na cabeça em rodovia do AC segue em estado grave
Railson Silva foi baleado na cabeça na noite do último dia 18, no km 58 da Rodovia Transacreana, zona rural de Rio Branco. Jovem baleado na cabeça na Rodovia Transacreana, no sábado (18), segue internado no pronto-socorro Janine Brasil/G1 O jovem Railson Silva de Souza, de 20 anos, segue internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto-Socorro de Rio Branco. Ele foi baleado na cabeça na noite do último dia 18, no km 58 da Rodovia Transacreana, zona rural da capital acreana. A rodovia foi cenário para outro crime bárbaro na mesma noite. Uma chacina onde seis pessoas foram assassinadas no km 100 da estrada em um bar. Ao G1, o diretor do pronto-socorro, Areski Peniche, informou que o rapaz passou por cirurgia, tem um edema cerebral e está sob os cuidados da equipe da neurocirurgia da unidade. “Está muito grave, mas estável e mantendo os parâmetros. Inspira bastante cuidado, foi operado, tirado fragmentos da cabeça e mantido o estado”, resumiu. Chacina Um grupo de criminosos chegou ao bar, na noite do último dia 18, e atirou nas pessoas que estavam no local. As vítimas foram identificadas como: Leonardo de Lima Maia, de 32 anos; Wilson Macedo Brito, de 34, João Victor Gomes de Oliveira, de 16 anos; Marcos Lazáro Gomes de Almeida, de 35; Moisés Andrade da Silva, de 42 anos, e Rosaldo Barroso de Freitas. Segundo a polícia, os criminosos roubaram uma caminhonete, quilômetros antes do bar, e foram para o local. No dia 19, a Polícia Militar do Acre (PM-AC) chegou a informar que o bar era frequentado por membros de facção. O G1 conversou com a família de Wilson Brito, uma das vítimas da chacina, que alegou que o morador estava no local e hora errados. Os familiares afirmaram também que Brito era trabalhador e não tinha envolvimento com crimes. A polícia divulgou, no dia 20, a prisão de uma pessoa que teria participado da chacina. Mais crimes na mesma noite Ainda na noite do dia 18 de janeiro, Matheus Vieira Cardoso foi morto a tiros no Ramal Bom Jesus, no bairro Vila Acre, também na região do Segundo Distrito da capital acreana.
Veja Mais

25/01 - TCU pede explicação ao BNDES sobre auditoria de R$ 48 milhões
Equipe de auditores investigou transações do banco com empresas do Grupo J&F e não encontrou sinais de irregularidades. TCU pede explicações ao BNDES sobre auditoria que investigou transações do banco com J&F O Tribunal de Contas da União pediu explicações ao BNDES sobre a auditoria que investigou transações do banco. O maior reajuste no valor do serviço, que custou ao todo R$ 48 milhões, foi feito na gestão atual. A equipe de auditores não encontrou sinais de irregularidades. Já o valor pago pelo serviço continua despertando dúvidas. Um escritório americano vasculhou arquivos do BNDES durante um ano e dez meses. Investigou as operações do banco com as empresas JBS, Bertin e Eldorado Celulose, do Grupo J&F, do empresário Joesley Batista. As empresas que participaram da auditoria receberam o equivalente hoje a R$ 48 milhões. No contrato inicial, o valor combinado era bem menor, cerca de R$ 28 milhões. Os reajustes foram aprovados por quem já esteve no comando do banco e pelo atual presidente do BNDES. O JN teve acesso às atas das reuniões quando os aditivos foram aprovados. Os primeiros reajustes foram feitos na gestão de Dyogo Oliveira, em novembro de 2018, ainda do governo de Michel Temer. A justificativa foi o aumento no volume de dados que deveriam ser analisados. A expectativa inicial de revisar 250 mil documentos foi superada. Os auditores já tinham coletado 340 mil documentos. O reajuste para um escritório americano de auditores foi de 25%, o equivalente a um US$ 1,175 milhão. Uma empresa de segurança da informação também conseguiu aumento de 25%: recebeu US$ 177 mil a mais. No documento não consta qual era a prazo para o fim do serviço, mas diz que ele foi prorrogado para 31 de dezembro de 2018. O último reajuste foi aprovado em 2019, sob o comando do atual presidente do BNDES. Na quarta-feira (22), em Davos, na Suíça, Gustavo Montezano disse que a responsabilidade é das gestões anteriores. “Não foi essa diretoria que contratou essa despesa. Quando nós chegamos ao banco, em julho, o relatório estava 90% pronto. Então, o custo já tinha sido incorrido. A gente só deixou eles terminarem, recebemos o relatório, e demos divulgação dele”. A ata da reunião de julho de 2019 diz apenas que foi necessário um serviço complementar para concluir a investigação e, para completar a apuração, o conselho do BNDES aprovou os maiores aditivos no contrato de 35% para o escritório americano: US$ 2,085 milhões a mais e acréscimo de 123%, quase um US$ 1,1 milhão para a empresa Protiviti, de segurança de informação. Os valores finais desta conta surpreenderam quem assinou o primeiro contrato da auditoria, em 2018. O ex-presidente do BNDES Paulo Rabello disse que mandou uma carta pedindo esclarecimentos ao atual presidente do banco. “O que é preciso ser esclarecido é por que houve aditamentos sucessivos nessa investigação. Mas é muito importante esclarecer que o banco tinha que fazer essa investigação. Agora, essa medida tem que ser acompanhada de uma justificativa e de uma prestação de contas”. O BNDES afirmou que está analisando o pedido do Tribunal de Contas da União, que vai responder no prazo estipulado e que o processo para a contratação da auditoria seguiu todos os procedimentos legais. Mas não explicou a razão para aprovar o último aditivo.
Veja Mais

25/01 - Homem é indiciado após pendurar camiseta com suástica em janela de apartamento em SC
Ele vai responder por apologia ao nazismo, cuja pena é de reclusão de um a três anos. Caso aconteceu em São José, na Grande Florianópolis. Homem foi indiciado após pendurar camiseta com suástica em janela em SC Divulgação/Polícia Civil O homem de 55 anos detido e depois liberado por ter pendurado uma camiseta com uma suástica na janela do apartamento onde vive em São José, na Grande Florianópolis, foi indiciado por apologia ao nazismo. O inquérito do caso foi finalizado na quinta-feira (23). O suspeito vai responder pelo crime em liberdade. O caso ocorreu na noite de domingo (19), no bairro Forquilhinhas. Uma pessoa que passava na frente do apartamento viu a camiseta com o símbolo nazista e chamou a Polícia Militar. O homem foi preso em flagrante e encaminhado para Central de Plantão Policial (CPP). Em depoimento, ele se declarou nazista e se disse um "lobo solitário", informou o delegado Deonir Trindade, responsável pelo inquérito. O homem falou ainda à polícia que teve prejuízo em São Paulo por causa de um sócio que era judeu e que por isso começou a simpatizar pelo nazismo, e que odeia policiais. No dia seguinte à prisão, o suspeito passou por audiência de custódia e foi solto por ter emprego e residência fixos e por não se tratar de um crime violento. Porém, a Justiça determinou medidas cautelares, como a proibição de deixar a comarca por mais de oito dias, comparecer aos atos do processo e não voltar a praticar crimes. Material apreendido na casa de homem indiciado por apologia ao nazismo em SC. Polícia Civil/Divulgação Apreensões e indiciamento A polícia apreendeu na casa do suspeito duas camisetas com suásticas, uma câmera fotográfica, uma câmera portátil, um pendrive, um notebook, livros sobre nazismo e uma agenda. O material eletrônico foi encaminhado para perícia técnica, enquanto os demais para o Fórum, assim como o inquérito. O homem foi indiciado por veicular símbolos ou materiais que utilizem a cruz suástica para fins de divulgação do nazismo. A pena para esse crime, previsto no parágrafo 1º do artigo 20 da Lei 7.716/89, é de reclusão de um a três anos e multa. Outros crimes O indiciado responde a uma ação na Justiça Federal por desacato a policiais rodoviários federais e é investigado em outro inquérito da Polícia Civil em Santa Catarina por ameaça, desacato e por perturbação de serviços de utilidades públicas - ele teria ligado em delegacias e ofendido policiais. Veja mais notícias do estado no G1 SC
Veja Mais

25/01 - Zoonoses realiza feira de adoção de cães e gatos neste sábado
Feira ocorre de 9h às 13h. Qualquer pessoa pode adotar cães e gatos mediante apresentação de documentos. Animais de estimação estarão disponíveis para serem adotados em mais uma edição da Feira de Adoção de Cães e Gatos promovida pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), em Belém. A ação vai ser realizada neste sábado (25), das 9h às 13h. São animais com saúde, vermifugados e vacinados. A maioria dos pets foi resgatado das ruas ou encontrados em situação de risco. O candidato à adoção deve apresentar alguns documentos como RG, CPF, comprovante de residência e deve passar por uma pesquisa de critérios avaliativos. A ação, que conta com o apoio da população tem como público-alvo todas as idades. Serviços Feira de Adoção de Cães e Gatos, neste sábado, 25, de 9h às 13h, no estacionamento G1, entrada da Alameda de Serviços, do Parque Shopping Belém, localizado na - Av. Augusto Montenegro, 4300. Entrada franca.
Veja Mais